Afirmação da Rússia da primeira vacina mundial contra o coronavírus levanta alarmes

 

A afirmação da Rússia da primeira vacina mundial contra o coronavírus levanta alarmes


O mundo se acostumou mais ou menos com o fato de o coronavírus COVID-19 estar afetando quase todos os países, mesmo que alguns deles continuem lutando para manter o número de infecções e, pior, o número de mortes sob controle.  O que antes era uma corrida para trazer ordem a um mundo repentinamente caótico agora se tornou uma corrida para encontrar uma cura ou, pelo menos, uma vacina para prevenir a infecção em primeiro lugar.  O presidente russo, Vladimir Putin, reivindicou publicamente a coroa naquela corrida, levantando não apenas dúvidas, mas também profundas preocupações sobre o lançamento de uma vacina que não passou por testes adequados e massivos.


 As vacinas geralmente passam por várias fases de testes, mas a que se tornou a mais controversa nos últimos tempos é a chamada “Fase 3”.  Esta fase, que envolve testes abrangentes, geralmente com milhares de participantes, normalmente é necessária antes de obter a aprovação regulatória.  É claro que não existe um estatuto internacional que exija essas fases e cada país implementa suas próprias regras.  Nesse caso, a Rússia decidiu que sua vacina contra o coronavírus está liberada para uso antes mesmo de passar pelos testes de Fase 3. Saiba mais aqui...


 Como esperado, isso alarmou muitos na comunidade médica e de saúde que já estão lutando para explicar ao público e, mais importante, aos governos a importância desse teste de Fase 3, mesmo que requeira ainda mais espera.  Mesmo se você considerar que a vacina é segura e não tem efeitos colaterais perigosos, pular o procedimento de teste adequado só daria às pessoas uma falsa sensação de segurança, ao mesmo tempo que custaria aos governos e aos cidadãos desperdício de dinheiro.  Por outro lado, há também um senso de urgência, pois o mundo continua lutando contra o vírus mortal.


 Essa corrida para desenvolver uma vacina, infelizmente, também desenvolveu conotações políticas à medida que os países competem para ser os primeiros a desenvolver uma vacina, tanto por razões geopolíticas quanto econômicas.  Outros países já se inscrevem para ser os primeiros a se beneficiar do medicamento russo, mesmo sem a garantia de sua eficácia.


 A Rússia, é claro, está considerando isso uma questão de orgulho nacional, já que o país tem sido amplamente percebido como um tanto atrasado tanto em aspectos políticos quanto tecnológicos.  Essa também tem sido uma das razões pelas quais cientistas e médicos estão alarmados com o anúncio prematuro e temem que outros países sigam o exemplo e evitem os testes da Fase 3.  A Rússia diz que em breve realizará testes massivos, mas ainda não divulgou os documentos científicos detalhando a vacina.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.